Recuperação de senha

Insira o e-mail cadastrado para recuparar sua senha.
E-mail:

Dicas e Informações

"Bolsa família" será única saída após robôs roubarem empregos, diz Musk

Para fundador da SpaceX, espécie de auxílio mensal pago por governos será a forma de humanos sobreviverem a revolução robótica

Postada em 10/11/2016 às 11:23:37
(Foto: Reprodução)

Pesquisadores e representantes da indústria alertam para um futuro onde máquinas inteligentes substituirão não só a força humana - como acontece desde a revolução industrial - como também tarefas mais complexas. 

Para Elon Musk, o visionário executivo por trás da Tesla Motors e da SpaceX, a revolução comandada por robôs será inevitável e ela será responsável por, eventualmente, roubar todos os empregos. A saída, segundo ele, será uma espécie de “bolsa família” para “sobreviver aos robôs”, defendeu ele em entrevista a CNBC.

A ideia é que para humanos sobreviverem em um mundo automatizado, governos serão forçados a pagar uma espécie de renda básica universal – pagando a cada cidadão uma certa quantidade de dinheiro por mês. De acordo com Musk, não haverá muita alternativa a isso. 

“Há uma boa chance de que nós acabemos com uma renda básica universal ou alguma coisa semelhante, devido a automação”, disse na entrevista.  

Robôs já têm assumido considerável força de trabalho em fábricas e montadoras automatizando e acelerando boa parte do processo fabril. Mas a medida que a inteligência artificial avança, robôs e assistentes virtuais têm também automatizado outros empregos. Desde recepcionistas robóticos em hotéis no Japão e vendedores metálicos em lojas à inteligência artificial escrevendo textos jornalísticos e sendo aplicada para prever julgamentos. E carros autônomos substituindo futuramente, taxistas e motoristas. 

Musk, entretanto, defende com certo otimismo o fato de que humanos serão superados em seus talentos profissionais por incansáveis máquinas. Para ele, "as pessoas terão tempo para fazer outras coisas, coisas mais complexas, coisas mais interessantes", e nós "certamente teremos mais tempo de lazer". A solução, segundo ele, é nos imaginar como nós, humanos, nos integraremos em um mundo e em um futuro com uma onipresente inteligência artificial. 

Fonte: IDG Now Ver mais


Deixe seu comentário